De 2006 a 2012, Fábio fez parte do primeiro grupo de stand up comedy do Rio de Janeiro, o COMÉDIA EM PÉ. Junto de Claudio Torres Gonzaga, Paulo Carvalho, Léo Lins e Fernando Caruso. Hoje segue uma brilhante carreira solo.

Carioca criado em São Paulo, Porchat foi descoberto no programa do Jô e começou sua carreira atuando em quadros de humor e escrevendo para a TV Globo.

Autor das peças teatrais encenadas no Rio de Janeiro: “Infraturas”, em que atuou com Paulo Gustavo; “Olho de Boneca”; “Elas Morrem no Fim”; “Calabouço”; “Velha é a Mãe”, esta última encenada por Louise Cardoso e Ana Baird, 2° lugar no concurso promovido pelo Centro Cultural Banco do Brasil, em 2006; a esquete “O Crítico” ganhou o Prêmio do Júri Popular no Salão Carioca de Humor.

Em 2007 ficou com o segundo lugar no Festival de Curtas do canal AXN com o premiado “O Lobinho Nunca Mente”, de sua autoria junto com Ian SBF, diretor do curta.

Em 2008, dirigiu a montagem de “Pic Nic no Front”, de Arrabal.

Em 2009, escreveu, produziu e dirigiu “Palavras na Brisa Noturna”, texto livremente inspirado no livro “As Boas Mulheres da China”, da jornalista chinesa Xinran Xue, com uma apresentação especial durante a FLIP, em Paraty, que contou com a presença de Xinran Xue. A peça foi encenada no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Recentemente fez parte do programa Junto e Misturado e Esquenta.

Atualmente está em cartaz com o solo “Fora do Normal”, apresentando-se em diversas cidades do Brasil.

Fonte: Wikipedia e site do humorista.